Sérgio Vaz é considerado o poeta da periferia e um dos maiores agitadores culturais nas periferias do Brasil. Em 2007 promoveu a Semana de Arte Moderna da Periferia, inspirada na Semana de Arte Moderna de 1922. É criador da Cooperativa Cultural da Periferia (Cooperifa) e um dos criadores do Sarau da Cooperifa, movimento que transformou um bar da periferia da zona sul de São Paulo em um centro cultural. Criou também outros eventos, como a Chuva de Livros; o Poesia no Ar, em que papéis com versos são amarrados a balões de gás e soltos no ar; e o A Joelhaço, em que homens se ajoelham na rua para pedir perdão às mulheres no Dia Internacional da Mulher. Já recebeu os prêmios Unicef (2007), Orilaxé (2010), Trip Transformadores (2011),  Governador de São Paulo, nas categorias Inclusão Cultural e Destaque Cultural (2011), Heróis invisíveis e Hutúz. Em 2009 foi eleito pela revista Época uma das cem pessoas mais influentes do Brasil. Pela Global Editora, publicou as obras Colecionador de Pedras (2007), Literatura, pão e poesia (2011) e Flores de Alvenaria (2016). Tem mais cinco livros independentes publicados: Subindo a ladeira mora a noite (1988), A margem do vento (1991), Pensamentos vadios (1994), A poesia dos deuses inferiores (2005) e Cooperifa – Antropologia Periférica (2008).

MESA: “O QUE QUER, O QUE PODE ESTA RIMA!  POESIAS, IDEIAS, TEIMOSIAS E AFINS…“ – SEXTA, DIA 11, ÀS 18H no www.youtube.com/flipelo

Share This

Share This

Share this post with your friends!